quinta-feira, 16 de julho de 2020

Lotação esgotada



Os transportes públicos na perspectiva 
da DGS e do Governo


Esta pequena enteléquia distraída só compreendeu o verdadeiro drama dos utentes dos transportes públicos em era de pandemia quando reparou, em qualquer pasquim diário de consumo rápido que lhe terá capturado a atenção pelos mais sórdidos motivos, que as restrições impostas se aplicam à lotação máxima, que, como agora parece óbvio a quem não via o interior de um furgão voador há décadas, inclui lugares de pé em número assustador, especialmente nos transportes ferroviários.

Nuno Santos, o outro sr. canditado, homem de opiniões fortes e voz grossa no aparato perdulário que novamente envolve a TAP, garante que tudo corre pelo melhor. 

É hora de ter muito medo. 

Até Costa se sentirá assustado com o fragor dos mosquetes, o suave delizar de estiletes, e o já não longínquo rufar de tambores. 

Esta gente toda junta em balofa oratória e conspícuo esbracejar é tão insuportável como uma novela mexicana dobrada para português do Brasil por pobres esquimós acabados de aprender Espanhol. 

E a nossa língua também já não é nossa. É de Sócrates. E parte da nossa bolsa continua a ser de Passos Coelho. E a mentalidade serôdia e populista com que nos tratam resquícios de Salazar. 

Sem comentários:

Publicar um comentário